Alimentos e agrotóxicos

Reprodução

Recente pesquisa do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor examinou 27 produtos, divididos em 8 categorias de alimentos e bebidas, e verificou se esses produtos continham resíduos de agrotóxicos.

As conclusões são alarmantes.

Cerca de 59,3% dos produtos apresentam pelo menos um tipo de agrotóxico, 51,8% apresentam, resíduos de glifosato ou glufosinato e todos os produtos que tinham trigo como ingrediente continham agrotóxicos.

Diversos produtos ultraprocessados analisados utilizam estratégias publicitárias que chamam a atenção para benefícios que eles podem trazer para a saúde do consumidor. Um exemplo é o cereal matinal Nesfit Tradicional, que é publicizado como saudável, mas apresentou resíduos de dois agrotóxicos.

Das bebidas de soja a Naturis Batavo – sabor soja tradicional (Lactalis) foi detectado glifosato. Baconzitos – Clássicos – feito de trigo (PepsiCo) também foi detectado glifosato. Estão na lista de detecção de componentes: Torcida – sabor queijo (PepsiCo); Pullman – Bisnaguito tradicional (Bimbo do Brasil); Wickbold – bisnaguinhas Turma da Nutrição (Wickbold); Panco – bisnaguinhas originais (Panco); Seven Boys – bisnaguinha original (Wickbold); Marilan – água e sal (Marilan Alimentos); Vitarella – tradicional (M Dias Branco); Triunfo – água e sal (Arcor); Zabet – água e sal (M Dias Branco); Bono – sabor chocolate (Nestlé); Bono – sabor chocolate (Nestlé); Oreo – biscoito sabor chocolate com recheio sabor baunilha (Mondeléz); Trakinas – sabor chocolate (Mondeléz) (Cartilha do IDEC: Tem veneno nesse pacote).

Nosso país é o maior consumidor de agrotóxicos do mundo, e o segundo maior comprador de produtos proibidos dentro da União Europeia.

A grande parte desses produtos químicos são usados nas lavouras de soja, milho, algodão e cana-de-açúcar. Ainda se utiliza no Brasil a pulverização com aviões, que é vedada na maior parte do mundo civilizado.

As ameaças desse uso indiscriminado são as seguintes: intoxicações; câncer; distúrbios endócrinos, neurológicos e mentais; ameaça aos insetos polinizadores, principalmente às abelhas; e a devastadora poluição ambiental no solo, na água e no ar.

A utilização dos transgênicos, nas mãos de meia dúzia de corporações, tem contribuído para as mudanças climáticas, para o desmatamento e a sensível perda da biodiversidade brasileira.

De forma gradativa o atual governo reduziu a regulação e a fiscalização dos agrotóxicos, justamente para facilitar a importação e liberar o seu uso.

Não há nenhuma transparência nem informação nos rótulos dos produtos alimentícios quanto ao uso dos agrotóxicos, se foram feitos testes sobre a presença de resíduos e se utilizam alimentos orgânicos e de base agroecológica em suas formulações.

O agro é pop?

(Acesse: https://idec.org.br/veneno-no-pacote )

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também