Maior rotao j vista no Universo complica teoria do Big Bang

Tudo no Universo gira

Ao mapear o movimento das galxias em enormes filamentos que conectam a teia csmica, astrnomos do Instituto Leibniz de Astrofsica de Potsdam (AIP), na Alemanha, acreditam ter encontrado evidncias que esses filamentos astronmicos giram na escala de centenas de milhes de anos-luz.

A observao preliminar e ainda ter que ser confirmada. Contudo, se for real, esse movimento significativo por vrios motivos.

Embora tudo no Universo parea girar, uma rotao em escalas to grandes nunca foi vista antes, mostrando que o momento angular pode ser gerado em escalas sem precedentes.

Por outro lado, a descoberta ressalta uma deficincia do modelo do Big Bang: Como que a rotao emergiu no Universo nascente, quando toda a matria em criao deveria estar se espalhando como uma grande bolha que infla?

Filamentos csmicos

Os filamentos csmicos so enormes “pontes” de galxias – e presumivelmente matria escura – que conectam aglomerados de galxias entre si.

Eles afunilam galxias em direo a grandes aglomerados que ficam em suas extremidades, compondo a chamada “teia csmica”.

“Ao mapear o movimento das galxias nessas enormes autoestradas csmicas, usando a pesquisa Sloan Digital Sky – uma pesquisa de centenas de milhares de galxias – encontramos uma propriedade notvel desses filamentos: eles giram,” destacou o astrnomo Peng Wang.

“Nessas escalas, as galxias dentro [desses filamentos] so meros gros de poeira. Elas se movem em hlices ou rbitas em forma de parafuso, circulando ao redor do meio do filamento enquanto viajam ao longo dele. Essa rotao nunca havia sido vista antes em escalas to enormes, e a implicao que deve haver um mecanismo fsico ainda desconhecido responsvel por induzir torque nesses objetos,” acrescentou seu colega Noam Libeskind.

Como o Universo comeou a girar?

Como o momento angular responsvel pela rotao gerado em um contexto cosmolgico um dos principais problemas no resolvidos da cosmologia.

No modelo padro do Big Bang, pequenos aumentos locais de densidade no incio do Universo poderiam ter crescido por meio da instabilidade gravitacional, medida que a matria flua das regies de menor densidade para esses locais emergentes de maior densidade. Esse fluxo aceito como sendo o motor do incio da aglomerao da matria, que mais tarde levaria formao das estrelas, planetas e galxias.

Contudo, esse potencial fluxo no gira e nem sequer tem ondas: No h rotao no Universo primordial segundo o modelo aceito hoje pelos cientistas.

Dessa forma, qualquer rotao deve ter sido gerada conforme as estruturas csmicas se formam. S que ningum teve ainda uma boa ideia de como isso pode ter acontecido.

Assim, como tudo no Universo gira, o que temos certeza que a realidade mais ampla e complexa do que as explicaes contidas em nossa atual compreenso do cosmos.Bibliografia:

Artigo: Possible observational evidence for cosmic filament spin
Autores: Peng Wang, Noam I. Libeskind, Elmo Tempel, Xi Kang, Quan Guo
Revista: Nature Astronomy
DOI: 10.1038/s41550-021-01380-6

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também