Personagens em Machado de Assis e Nelson Rodrigues

(Foto: Reprodução/Instagram)

A obra de Machado de Assis coleciona figuras do mundo jurídico, o livro Código de Machado de Assis – migalhas jurídicas de Miguel Mattos contabiliza oitenta advogados, trinta e oito bacharéis, dezoito juízes e um rábula.

No conto Teoria do Medalhão de Machado, temos Janjão, que ao completar 21 anos, atinge a maioridade e numa conversa com seu pai, no jantar, escuta os conselhos do genitor para se tornar um medalhão.

A vida é uma grande loteria; os prêmios são poucos, os malogrados inúmeros, e com os suspiros de uma geração é que se amassam as esperanças da outra.

Se você for entrar na política basta ter um sotaque, podes pertencer a qualquer partido, liberal ou conservador, republicano ou ultramontano, com a cláusula única de não ligar nenhuma ideia especial a esses vocábulos.

Aconselha-o a não desenvolver ideias próprias.

As livrarias, ou por causa da atmosfera do lugar ou por qualquer outra razão que me escapa, não são propícias ao nosso fim.

Poupe teus semelhantes de toda imensa polêmica, tu dizes simplesmente: – Antes das leis, reformemos os costumes! Essa frase sintética, transparente, límpida, tirada ao pecúlio comum, resolve mais depressa o problema, entra pelos espíritos como um jorro súbito de sol.

Certo Nelson Rodrigues refere-se a Machado de Assis numa possível descrição do Senado Federal da época: eles falam, falam e não dizem o essencial.

Nelson na crônica A história de Lemos Bexiga desnuda a miséria humana.

Lemos Bexiga discutia com sua esposa, a ponto de ouvir dela: – Não quero esse presente nojento (…). – Olhe o que faço com teus presentes! Atirando-o pela janela.

No auge da discussão ele exclama: – Por que você não morre? E ela, arquejando, responde: – Quando você morrer, vou cuspir em tua cova. Ela falece e, no enterro, Bexiga abraça as pessoas por uns três minutos. Tristeza?

O comissário Marcondes durante o velório grita: – Basta! Chega! – Esse homem bateu a carteira de todos vocês…. – Foi ele, ele, o ladrão!

Quem deu o primeiro tapa foi o próprio Comissário, outro, um rapa por trás, que derruba o Bexiga que se levanta para cair outra vez, outro sujeito o suspende para dar-lhe uma cabeçada.

Lemos soluçava: – Não me batam, não me batam. No caixão, a morta parecia sorrir.

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on whatsapp
WhatsApp

Leia Também